Bloodborne é um jogo assustador em muitos sentidos. Encontramos nele uma ambientação assustadora, caminhos perigosos, uma dificuldade muito alta, chefes agressivos e alguns dificílimos, além da barreira inicial que filtra jogadores casuais e hardcore. Então porque diabos Bloodborne é um dos melhores jogos do PS4 na opinião de muitos gamers? A resposta é simples: imersão!

Hidetaka Miyazaki e sua From Software já vem há muito anos sendo elogiados e até mesmo endeusados por muitos (justamente) por trazer aos videogames um conceito diferenciado de gameplay e forma de contar histórias. Um realismo narrativo e de level design que muitos não conseguem abraçar por exigir dedicação e paciência, assim como os grandes feitos na vida real.

Narrativa

Bloodborne é um sucessor espiritual da série Souls e assim a narrativa é contada através de pequenas pistas que encontramos em itens, NPCs e algumas poucas CGs. O jogo não é extremamente didático como a esmagadora maioria dos AAA atuais e isso tem um lado muito positivo pois assim como na vida real, fica a cargo de cada um se aprofundar e correr atrás daquilo ou não, pois um jogador pode platinar o game sem fazer ideia do porquê caçou aqueles monstros aterrorizantes, quem eram os NPCs, etc, mas caso o jogador se dedique, leia tudo, preste atenção nos detalhes, existe uma história de terror maravilhosa escondida e que se o jogador não pegar tudo só no gameplay, facilmente vai encontrar respostas na ativa comunidade do jogo.

Cada chefe, cada NPC tem sua própria história e se o jogador não tiver interesse na lore, os mesmos podem ser completamente ignorados. Já vi em muitos lugares jogadores acostumados com histórias simples e jogadas na cara criticarem o jogo e a opinião deles merece respeito, mas a verdade é que A Noite da Caçada tem sim uma riqueza singular fazendo com que o jogador complete algumas lacunas com a própria imaginação. Apesar de reconhecer a forma diferenciada de contar histórias da série Souls e Bloodborne não podemos deixar de mencionar que nem todos são obrigados a ter paciência para buscar o enredo de um jogo e sim, na história exclusivamente in-game temos uma das partes mais fracas de Bloodborne, junto com a inexpressividade facial dos personagens humanos, mas obviamente nada disso diminui a experiência de jogar Bloodborne.

Ambientação e imersão

Yharnam é um lugar sombrio e cheio de caminhos secretos e interligados, tornando o level design do jogo incrível. Quando menos esperamos acabamos voltando a um lugar que já visitamos e muitas vezes vindo de um lugar completamente diferente. Apesar de nos vídeos e imagens geralmente só mostrarem a cidade, até pra evitar spoilers, o jogador visita lugares extremamente variados como florestas, cemitérios, catedrais, faculdades, subterrâneos, lagos e alguns ambientes bem surreais. A diversidade é surpreende ao jogador desavisado que vê apenas poucos trailers e imagens que até hoje não vi nenhuma que faz jus a grandiosidade do game.

Os visuais dos monstros normais e chefes são saídos diretamente dos contos de H.P. Lovecraft e lembrando também a criatividade dos apóstolos do mangá Berserk. Sem dúvida o jogo tem um clima de terror muito maior que muitos jogos exclusivamente pensados para o gênero horror. O gráfico do jogo em geral é mediano, mas em diversos momentos, principalmente nos chefes gigantescos parece haver um cuidado absurdo com iluminação e fluidez, além disso a direção de arte do jogo é tão bela que no fim acabo achando o gráfico lindo.

Jogabilidade

A primeira impressão para quem nunca jogou um game da série Souls é de que a distribuição de botões de Bloodborne é atrapalhada, mas com pouquíssimo tempo de jogo você se sente tão familiarizado que passa a achar que todos games de ação deveriam ter essa disposição de controle. Basicamente utilizamos o R1 para golpes fracos e R2 para golpes fortes na arma primária (arma da mão direita), podendo ser machados, espadas, serrotes e outras armas mais criativas que são até difíceis descrever. No L1 podemos utilizar uma segunda função da arma primária, uma versão mais pesada porém mais lenta como por exemplo uma espada que vira um grande martelo, o machado curto que passa a ser longo e de duas mãos, entre outros.

No L2 utilizamos armas de fogo, tochas ou um escudo de madeira (que na verdade é totalmente sem efetividade e com certeza é uma piada da From Software). Nos direcionais temos alguns funções específicas. Na seta pra direita trocamos pra segunda arma da mão direita, na seta pra esquerda trocamos para a segunda arma da mão esquerda, na seta pra baixo trocamos a seleção de itens. No options podemos gerenciar nosso personagem. No triângulo usamos Frascos de Sangue, utilizados para recuperar o HP e no quadrado utilizamos um dos itens equipados em um dos slots. No L3 travamos a mira no inimigo e no bola podemos nos esquivar e rolar.

Para subir de level vamos coletando Ecos de Sangue obtidos matando inimigos ou utilizando alguns itens e podemos subir nossa Vitalidade, Força, Perícia, Resistência, Arcano e Matiz de Sangue, tudo no melhor estilo RPG, sendo possível inclusive melhorar o poder das nossas armas através de itens. Podemos fazer isso tudo no Sonho do Caçador, um local a parte onde não existe monstros, mas existe uma estranha boneca e uma fonte que vende itens e armas. Vale também lembrar que é importante sempre reparar suas armas com Ecos de Sangue pois ela pode se quebrar com o uso frequente.

Em Bloodborne é extremamente necessário ser ágil e proativo, pois os inimigos são e se o Caçador não for rápido na resposta e ação, é morte certa. A famosa dificuldade realmente existe mas basta ter dedicação que a recompensa será deliciosa ao derrotar aquele boss que te irritou e tornou o embate realmente pessoal. Não se engane, mesmo monstros gigantescos são bastante ágeis às vezes e não perdoam erros.

Para avançar no jogo é necessário que o jogador avance pelos cenários e alcance lanternas, que seriam as fogueiras do jogos Souls e que estão bem distribuídas por toda Yharnam, o que não quer dizer que é tarefa fácil avançar de uma para outra. Das lanternas é possível se transportar para o Sonho do Caçador e respirar um pouco.

Co-Op

Um Caçador não precisa enfrentar a dura jornada sozinho, caso esteja enfrentando dificuldades ou queira simplesmente se aventurar com amigos é possível invocar através de um Sino até dois jogadores para enfrentar as feras no seu caminho. Através de outro sino também é possível ajudar outros Caçadores em seus mundos mesmo que você não os conheça fora do jogo, pois existe um sistema de busca, que por vezes demora a responder mas que é bem eficiente.

Sem dúvidas um chefe que parece impossível matar sozinho pode virar uma moleza de dois ou três jogadores. Também é possível fazer embates PvP, valendo até mencionar que alguns inimigos controlados pelo computador são muito parecidos com jogadores humanos, de tão desafiante que o jogo é. Também é possível jogar os Cálices e a excelente DLC The Old Hunters em Co-Op.

Conclusão

Para aqueles jogadores que não tem medo de desafios e de monstros bizarros, Bloodborne é simplesmente obrigatório. Pode até ser que o jogo não seja totalmente perfeito, mas para aqueles que abraçam a Caçada, este é um jogo que oferece uma experiência incrível e rara nos dias de hoje. Existe uma bela comunidade em torno do game o que torna o Co-Op uma boa opção para quem quer sair do bom e velho FPS, estilo que acaba dominando as jogatinas online.

Com uma jogabilidade viciante, uma imersão assustadora, level design de dar inveja e uma direção de arte primorosa, Bloodborne é uma experiência inesquecível, para o bem e para o mal.


Gostou do post? Então que tal seguir o nosso Twitter e curtir a nossa página no Facebook para você continuar acompanhando todos os nossos posts sobre coisas nerds e cultura pop em geral, diariamente, em suas redes sociais.


Se você tem alguma sugestão de post, dúvidas, críticas e elogios, nos envie um e-mail para [email protected]. Queremos ouvir você, sua opinião é sempre muito importante para nós!


Você já faz parte do nosso Grupo no Facebook? Faça já parte e interaja com os redatores e outros leitores do site! Link para o grupo: https://www.facebook.com/groups/elite42