Produtoras independentes brasileiras terão cinco vezes mais espaço na Brasil Game Show 2015

BGS-2015

Já anunciamos aqui que o Elite 42 estará fazendo cobertura da BGS 2015 e uma das coisas mais legais de um eventos desse porte é acompanhar como anda o cenário indie nacional.

Confira abaixo um release informando o que o público poderá encontrar lá no evento relacionado a essa galera indie.


Dedicado à produção nacional de games e com um convidado internacional, o “Pavilhão Indie” é a oportunidade para empreendedores mostrarem seus jogos para um público estimado em 300 mil pessoas e estarem ao lado dos maiores nomes da indústria; nova área Indie Meeting recebe diariamente os expositores indie para palestras.

As produtoras brasileiras de jogos terão grande destaque na edição 2015 da Brasil Game Show (BGS), principal feira de games da América Latina e a segunda maior do mundo em área utilizada. Durante o evento, que acontece entre os dias 8 (para imprensa e negócios) e 12 de outubro, no Expo Center Norte – SP, 36 estandes ocuparão o Pavilhão Indie, em uma área cinco vezes maior do que em 2014. Além dos estúdios brasileiros, haverá também um indie norte-americano convidado, o Data Realms.

Pela primeira vez na BGS, os estúdios participarão da área Indie Meeting, um espaço com plateia onde cada expositor independente terá 45 minutos para apresentar seus projetos e atender o público. Serão cinco palestras por dia com 30 minutos de apresentação, 15 de perguntas e respostas, sob a coordenação de Esteban Clua, professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e vice-diretor do Instituto de Computação da UFF. Clua também é um dos fundadores do SBGames (Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital) e foi presidente da Comissão Especial de Jogos da Sociedade Brasileira de Computação (SBC) entre 2010 e 2014.

Marcelo Tavares, idealizador e CEO da BGS, diz que a feira sempre estimulou a participação dos indies e que a presença tem aumentado ano a ano, acompanhando o crescimento da própria indústria nacional. “Há cada vez mais empresas produzindo jogos no Brasil e é papel da BGS, principal evento do setor no país e no continente, apoiar quem está dando os primeiros passos, principalmente considerando que as produtoras independentes brasileiras evoluíram bastante e muitas não deixam nada a desejar em relação às principais empresas internacionais”, diz Tavares. Segundo ele, a popularização dos dispositivos móveis abriu muitas frentes para a criação de aplicativos e games e, atualmente, também há maior facilidade para desenvolver títulos para os consoles de última geração.

É o caso, por exemplo, da Duaik Entretenimento, que esteve no Pavilhão Indie da BGS em 2014 e retorna em 2015 com o agora já famoso jogo Aritana e a Pena da Harpia, lançado recentemente para XBOX One e que ganhou prêmios no Brasil e reconhecimento internacional, e da Void Studios, que apresentará seu primeiro game comercial, Eternity: The Last Unicorn, disponível em 2016 para PlayStation 4. “Participar de um evento como a BGS é a melhor forma de aparecermos para o público e nos tornarmos conhecidos também para grandes nomes da indústria”, afirma o diretor da Void, Luiz Ricardo.

A expectativa de ter contato com pessoas chave da indústria e com os jogadores também motivou a 2Dverse a participar da BGS e mostrar o mobile game A Treta dos Irmãos Piologo. “Achamos muito importante ter uma relação mais próxima com os nossos clientes e estar na BGS pela primeira vez será uma ótima oportunidade para interagir e conversar com todos”, afirma Wallace Delfino, gerente e programador da desenvolvedora. Mesma situação da Requiém Studios, que faz sua primeira aparição pública na BGS. “A BGS será uma ótima oportunidade de entender o mercado, os nossos consumidores, fazer a nossa apresentação nesse começo de jornada e mostrar Lumen um jogo de plataforma inteiramente feito em 2D”, afirma Alessandro Nascimento, diretor, game designer e roteirista da empresa.

As expectativas positivas têm fundamento: além das produtoras brasileiras independentes, as principais empresas do mundo dos games estarão na BGS 2015, comoActivision, Com2us, DxRacer, EA, HyperX, MadCatz, Nvidia, PlayStation, Razer, Rimo, TP-Link, Ubisoft, Xbox e Warner, assim como grandes redes varejistas como Saraiva, Lojas Americanas e Americanas.com. Quanto ao público, são esperadas 300 mil pessoas, 20% a mais do que em 2014.


Então é isso galera, como puderam ver terá games para todos os gostos, tem espaço pra quem só está quer ver jogos AAA e também para quem curte indies. No meu caso, curto os dois estilos, contanto que o jogo seja bom, não faz diferença.

Se de um lado temos GTAs, CODs, Destinys, Fifas, do outro temos um Chroma Squad, Guacamelee, Shovel Knight, Journey, entre tantos outros pra provar que criatividade também faz grande diferença na criação de games.

E aí, curtiu a notícia? Você vai na BGS? Curte jogos indie? Deixe aí sua opinião pra gente!